News

PTB quer afastar tesoureiro acusado de fraude por Roberto Jefferson

Dirigentes do PTB comunicaram ao tesoureiro do partido, Luiz Rondon, que ele será afastado do cargo. O principal líder da sigla, Roberto Jefferson, mandou um áudio a correligionários no qual acusa Rondon de fraude e de ter vazado documentos da legenda.

Rondon irá a Brasília na 4ª feira (13.out.2021) para discutir a situação com o partido. O Poder360 apurou que ele argumenta que não pode ser afastado por ocupar um cargo eletivo. Procurado pela reportagem, Rondon disse que só se pronunciaria na 4ª feira.

Ele enviou um texto, também a correligionários, em que se defende das afirmações de Jefferson. Afirma que trabalha com o cacique da sigla há quase 20 anos e sempre foi fiel. Além disso, disse que Jefferson foi induzido ao erro.

O líder do PTB afirma que Rondon está envolvido em um esquema para “desestabilizar o PTB, criar uma narrativa”.

Na versão de Jefferson, o objetivo seria impedir que o presidente Jair Bolsonaro se filie ao PTB para disputar a reeleição. Ele afirma que no PP, destino mais provável do presidente, Bolsonaro não conseguiria se candidatar.

A narrativa à qual o cacique se referia seria sobre haver problemas nas contas do partido.

“Repetindo ‘tem irregularidade nas contas’, ‘usou o dinheiro pra pagar cirurgia’, ‘usou dinheiro pra pagar restaurantes automotiveíssimos’, aquela coisa que foi urdida, tramada dentro da nossa tesouraria”, disse o dirigente partidário.

Segundo ele, documentos de prestação de contas do partido vazaram de dentro da sigla.

“O documento que eles criaram um arquivo fictício em cima chamado ‘cirurgia Graciela’ ou ‘cirurgia Graci’ foi defraudado pelo pessoal de dentro do PTB na nossa tesouraria”, declarou.

“Se tivesse, o crime é do ordenador de despesa. Quem ordena? O Rondon”, afirmou Jefferson.

Roberto Jefferson preside o PTB e foi preso por determinação do ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Alexandre de Moraes. Ele deixou a cadeia para um tratamento de saúde, mas ainda não teve o futuro definido.

No áudio, ele menciona sua própria condição. Disse que está “na chave”.

“Quem ordena a despesa é o tesoureiro e o presidente. O presidente está na chave. Está preso. Quem ordenou a despesa foi o Rondon porque não tem mais cheque”, disse ele.

“Graci”, mencionada por Jefferson, é Graciela Nienov. Ela é da confiança do ex-deputado e tem comandado a legenda na sua ausência.

Antigos integrantes do grupo político de Jefferson estão sofrendo revezes dentro do partido com Graciela no comando.

Na última semana, a sigla anunciou a expulsão da filha do ex-deputado, Cristiane Brasil, do blogueiro bolsonarista Oswaldo Eustáquio e do pastor Fadi Faraj. O Poder360 adiantou que o expurgo seria feito.

Leia a seguir a íntegra da mensagem enviada por Rondon a correligionários se defendendo:

“Nesses quase vinte anos que estou no PTB e em sua totalidade ao lado de Roberto Jefferson, sempre fiel a ele, creio eu, que jamais traí sua confiança, tenho convicção e absoluta certeza disso. Sempre trabalhei com lisura e dedicação ao PTB, para aqueles que me conhecem, sendo um pouco duro, mas sempre para defender o PTB, jamais tomei alguma atitude para beneficiar ou prejudicar um ou outro. Por isso, quero assegurar a minha ethical e o meu automotiveáter. Fui acusado injustamente de ter enviado arquivos do PTB e não sei por que razão induziram levianamente o Roberto ao erro, alegando que deveria constar um QR Code, o que não é verdade! Por isso, gostaria que vocês assistissem aos vídeos que posto aqui do passo a passo de como as pessoas que soltaram nas redes sociais o fizeram.

Mais uma vez afirmo, não aceito que meu automotiveáter seja arranhado por quem quer que seja, tudo que fiz no partido e pelo PTB foi com muito profissionalismo e sempre com lealdade a Roberto!

Obrigado! Luiz Rondon”

Related Articles

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Back to top button