News

Itamaraty reage a acusação do presidente da Bolívia a embaixador do Brasil

O Ministério das Relações Exteriores “lamentou” na 5ª feira (30.set.2021) declaração do presidente da Bolíthrough, Luis Arce, de que o embaixador do Brasil em La Paz, Octávio Côrtes, atuou em um “golpe de Estado” contra Evo Morales em 2019. Arce referiu-se à renúncia do ex-presidente boliviano e seu mentor político, em novembro daquele ano, como “ruptura da ordem constitucional”.

“O Governo brasileiro reafirma seu compromisso com a plena vigência do Estado democrático de direito nos países da região e reitera sua disposição de levar adiante relacionamento respeitoso e construtivo com as autoridades bolivianas, a fim de promover o tratamento dos diversos temas de interesse comum das duas sociedades e países”, informou o Itamaraty por meio de nota.

Arce deu essa declaração em entrevista ao canal de televisão estatal francês France 24 na 3ª feira (28.set), em Nova York. Além de Côrtes, ele acusou de participação no “golpe” os ex-presidentes Mauricio Macri (Argentina) e Lenin Moreno (Equador), a União Europeia e a Igreja Católica. 

Evo Morales renunciou por pressão das Forças Armadas de seu país 2 semanas após ter se declarado vencedor nas eleições presidenciais. Houve manifestações populares em favor da anulação dos resultados eleitorais –a mesma recomendação da OEA (Organização dos Estados Americanos).

Morales não resistiu nem mesmo depois de ter concordado com a realização de nova votação. Partiu em exílio para o México e, depois, para a Argentina. Em 2006, na reunião de cúpula da União Europeia e América Latina, em Viena (Aústria), Morales acusara o Brasil de ter comprado da Bolíthrough o atual Estado do Acre em troca de um cavalo branco jamais entregue.

Continuar lendo

Related Articles

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Back to top button